Bucegi, a mythical place

This weekend we visited the Bucegi Mountains. Located to the south of Braşov these mountains are part of the Carpathian mountain range, the second largest mountain range in Europe.

The legend of this place takes us thousands of years back in time to the days of the Dacians, one of the tribes of the audacious Thracians. It’s believed that at that time the mountain was called Kogaionon (sacred mountain). According to legend, it was in a cave in this mountain that Zalmoxix, a Dacian deity, withdrew himself for three years to consult with the oracles.

Today the cave can be visited by those that pass by. However, once it was outside our path (that was already 10 hours long) we didn’t visit it.

Our climb began in Bușteni, a small city by the base of the mountain. Right at the start of our walk, we found a sign warning us to be careful of bears, which was no surprise considering that Romania houses one of the largest grizzly bears.

It was a hard climb that took about 3 hours. A steep climb, at times dangerous and only possible thanks to the chains that help you climb the hardest rocks (without any abrupt descent).

Certainly not a recommended trail for those with vertigo.

Along the way, we found what I call of “inspiring monuments”: several crosses marking the places where other hikers perished. Since the seventies until today, the mountain has claimed the lives of less careful hikers. It’s easy to understand why so many of these “monuments” exist: without the support chains it would prove quite hard to cross some of the obstacles safely.

After three long hours, we arrived at Caraiman Hut, that has a small bar that is the delight of anyone crazy enough to do this hike. Here you’ll find the best beer in the world (regardless of what you order).

The hardest part was over, but the climb was not. After a short break, we proceeded to Caraiman Peak.

Caraiman Peak – The Heroes Cross

From the hut, it took us a little under an hour to arrive at the large cross located in Caraiman Peak. A Cross about 45 meters high (including its base) in memory of the World War 1 Heroes. This cross was built between 1926 and 1929. Imagine how it was like to build this monument at 2291 meters high in the 20’s.

On this part of the trail, we were able to see several families traveling across this path, including small children since there is an easier way to get here from Babele hut. And to Babele we continued after a stop to observe the view over Bușteni. One hour hike filled with stunning views.

Babele and the Sphynx

This is another area covered by mysticism. Here you’ll find a rock formation knonw as “the old woman”. According to legend an old woman called Dochia was turned to stone with her sheep. Now, every year, from March the 1st to March the 9th her spirit hunts in the area, bringing storms and cold weather before the beginning of Spring. True or not, it is worth visiting this unique rock formation. In this location, you’ll also find another rock formation called the Sphynx, for its similarity with the Egyptian Sphynx. Due to this similarity, the place has been the target of folklore and suppositions alike. Apparently, there were some aliens several thousand years ago that had nothing to do but create these unique looking rock formations.

After visiting the natural monuments in the area we stopped at Babele hut to regain strengths with some Chiorba (Romanian soup) before beginning our descent.

The Return

Once we’d recovered our strengths, and had caught a sunburn from sleeping in the son, we resumed our hike. There was still time to “lose” ourselves from the trail and cross the green plains far from the touristic trails. After 3 hours we arrived in Bușteni, tired but in awe of this incredible place.

It is easy to understand why this place is wrapped in mysticism. Its difficult to access, the ever-changing weather, and its natural beauty made it the home of Gods in ancient times. A hard, but worthwhile, hike.

P.S.: As you might have noticed my usual company mad herself scarce and didn’t join me on this walk. Instead, I did the hike with Marius, that as a souvenir returned home speckled in pink. 😀


Montanhas Bucegi – lendas, natureza e aventura

Bucegi – um local mítico

Este fim de semana visitamos as montanhas Bucegi. Situadas a sul de Braşov, estas montanhas fazem parte do Cárpatos, a 2ª maior cadeia de montanhas da Europa.

A lenda deste local leva-nos a uma viagem de milhares de anos no tempo até ao tempo dos Dácios, uma das tribos dos audazes Trácios. Acredita-se que nesse tempo esta montanha era chamada de Kogaionon (montanha sagrada). Segundo a lenda foi numa gruta desta montanha que Zalmoxix, uma divindade dos Dácios, retirou-se durante três anos para consultar os oráculos.

A dita gruta pode, hoje, ser visitada por quem aqui passa. No entanto, uma vez que ficava fora do nosso trilho (que já foi de 10h) não a visitamos.

A nossa subida começou em Bușteni, uma pequena cidade junto à montanha. Logo no início encontramos um sinal a avisar para ter cuidado com os ursos o que não foi surpresa tendo em conta que a Roménia alberga uma das maiores populações de ursos pardos.

Foi uma subida difícil que levou cerca de 3h. Uma subida acentuada e muitas vezes perigosa só possível pela presença de correntes que ajudam a subir as rochas mais difíceis (sem descidas abruptas pelo meio). Certamente não é um trilho recomendado a quem tem vertigens.

Pelo caminho encontramos o que eu chamo de “monumentos inspiradores”: várias cruzes a marcar os locais onde outros caminhantes morreram. Desde os anos 70 até aos dias de hoje, a montanha vem reclamando os caminhantes menos cuidadosos. É fácil perceber a quantidade de “monumentos” que encontramos pelo caminho: sem as correntes de apoio muito dificilmente conseguiríamos atravessar em segurança alguns dos obstáculos.

Após três longas horas chegamos à cabana Caraiman que tem um pequeno bar que faz as maravilhas dos malucos que acham de fazer esta subida. Aqui podemos encontrar a melhor cerveja do mundo (independentemente da marca pedida).

Tínhamos passado a parte mais difícil mas a subida ainda não tinha acabado e após um pequeno intervalo continuamos em direção ao Pico Caraiman.

Pico Caraiman – A cruz dos heróis

Desde a cabana levamos um pouco menos de 1h a subir para chegar à grande cruz situada no Pico Caraiman. Uma cruz com cerca de 45 metros de altura (incluindo a base) em memória dos heróis da 1ª Guerra Mundial. Esta cruz foi construída entre 1926 e 1929. Imaginem o que foi construir este monumento a 2291 metros de altitude nos anos 20.

Nesta parte do trilho pudemos observar várias famílias percorrendo este caminho incluíndo crianças pequenas pois existe um caminho mais fácil para chegar aqui a partir da cabana Babele. E foi para Babele que nos dirigimos após uma paragem para observar a vista sobre Bușteni. Uma caminhada de 1h cheia de paisagens deslumbrantes.

Babele e as esfinges

Esta é mais uma zona coberta em misticismo. Nesta zona podemos encontrar uma formação rochosa conhecida como “a velha”. Segundo a lenda, uma velha chamada Dochia foi transformada em pedra juntamente com a sua ovelha e todos os anos, de 1 a 9 de Março o seu espírito caça naquela zona trazendo tempestades e tempo frio antes do começo da Primavera. Verdade ou não, vale a pena visitar esta formação rochosa singular. Neste local podemos também encontrar outra formação rochosa designada por esfinge, assim chamada assim devido à sua semelhança com as esfinges egípcias. Devido a esta semelhança o local tem sido alvo de folclore e suposições. Aparentemente andaram por aí uns extraterrestres a vários milhares de anos atrás que não tinham nada para fazer e decidiram criar umas formações rochosas de aspecto único.

Após visitarmos os monumentos naturais da área paramos na cabana Babele para recuperarmos forças como uma Chiorba (sopa romena) antes da descida.

O Regresso

Após recuperarmos as forças e apanharmos um escaldão por dormir ao sol lá retomamos a nossa caminhada. Ainda tivemos tempo para nos “perdermos” do trilho e atravessar planaltos verdejantes longe dos trilhos turísticos. Após 3h lá chegamos a Bușteni. Cansados mas maravilhados por este incrível local.

É fácil compreender o porquê deste local estar envolto em misticismo. O seu difícil acesso, tempo inconstante e beleza natural fez com que fosse tomado como morada dos Deuses em tempos antigos. Uma caminhada difícil mas que vale bem a pena.

P.S.: Como já devem ter reparado a minha companhia habitual desmarcou-se da caminhada. Fiz a caminhada com o Marius que como souvenir foi pintado de cor-de-rosa para casa 😀

Starting the way up!

Starting the way up!

up!

and up! one hand climb just for the pic 😛

Marius testing the stability of the snow floor!

up again!

in the middle of the forest!

almost in the Caraiman hut…or not!!

Caraiman hut where we got our beers!

one of the “inspiring monuments”

on our way to the Caraiman Peak

following the trail!

The Heroes Cross at the Caraiman Peak

on our way to the Sphynx

on the top of the world 🙂

The old woman. Didn’t get the best angle.

Babele rocks and Babele hut

The Sphynx

on our way down

making new friends in the way down!

Last picture. 2 more hours down to go!

 

 

%d bloggers like this: